O que é desemparedamento da infância?

Descubra porque defendemos escolas com mais natureza, conectadas com seus entornos e com propostas de aprendizagem ao ar livre

Criança desenhando em um cavalete, ao ar livre, em aula que tem como base o conceito de desemparedamento.

As crianças aprendem e se desenvolvem o tempo todo, em todo lugar. Mas boa parte de seu dia é vivido na escola. Muitas delas são cinzas, fechadas, e suas rotinas não incluem a possibilidade de brincar e aprender do lado de fora. O que significa que, se as crianças não entrarem em contato com a natureza durante esse período, talvez não vivenciem essa experiência.  

Poder movimentar-se livremente, em um ambiente natural, melhora a saúde física e mental, o bem-estar e contribui para o desenvolvimento integral das crianças. Por isso, é necessário criar escolas mais verdes, conectadas com seus entornos, e adotar propostas educativas que contemplem as dimensões física, cultural, social e cognitiva das crianças, incluindo a natureza e os espaços abertos como estratégias de aprendizagem. Desemparedar as crianças é benéfico para os alunos, para a comunidade escolar e também para as cidades!

Como o termo desemparedamento surgiu?

A palavra desemparedamento foi cunhada pela professora Léa Tiriba. Ela e outros pesquisadores têm mostrado que a diminuição das áreas verdes, somada à perda de autonomia e liberdade das crianças nas cidades, faz com que elas passem cada vez mais tempo confinadas, muitas vezes em frente às telas. 

Nesse sentido, desemparedar as crianças significa aproveitar os espaços externos, dentro e fora das escolas, e também adotar práticas pedagógicas que favoreçam atividades ao ar livre, tanto para brincar quanto para aprender.

O QUE FAZER PARA DESEMPAREDAR AS CRIANÇAS?

Conheça diferentes estratégias que articulam a infraestrutura escolar, a relação com o entorno e a proposta pedagógica

Crianças brincando com um coelho em um pátio escolar. Desemparedamento.

Aprender e brincar ao ar livre

Desemparedar as crianças é mais do que levá-las para fora. Significa incluir tempo nas rotinas escolares para o brincar livre e encontrar novos jeitos de ensinar que incluam não só a dimensão intelectual, mas também os aspectos físicos, sociais, culturais e emocionais.

Pátios e entornos COM MAIS NATUREZA

Verdejar as escolas e seus entornos, criando espaços para o encontro, o descanso, o aprendizado e o brincar com elementos naturais significa torná-los mais saudáveis, diversos e melhores para os alunos, para a comunidade escolar e também para as cidades. Conheça os parques naturalizados

Caminhos escolares brincantes e seguros

Tornar os entornos escolares mais seguros, brincantes e menos poluídos, diminuindo o trânsito e melhorando os caminhos – além de incentivar a formação de grupos para caminhar juntos até a escola – ajuda a dar autonomia e senso de pertencimento à cidade para as crianças. Saiba mais!

TiNis: Terra das Crianças

Plantar é uma experiência potente e transformadora. O projeto TiNis – Terra das Crianças busca conectar os pequenos com a Natureza por meio do plantio, promovendo o vínculo emocional como o mundo natural, ao mesmo tempo que desenvolve autonomia e protagonismo. Conheça a iniciativa!

Por que desemparedar faz bem?

Para o aprendizado

Escolas e projetos pedagógicos que incorporam atividades ao ar livre e em contato com a natureza favorecem a investigação, a integração dos saberes e o desenvolvimento integral das crianças.

Para o brincar

Espaços escolares e entornos naturalizados favorecem o brincar livre e espontâneo, que promove maior cooperação, autonomia e estimula a inventividade nas crianças.

Para a comunidade escolar e seu entorno

Uma escola que se conecta com o território e procura entendê-lo e transformá-lo, melhorando a qualidade de vida da comunidade, traz conteúdo mais significativo e favorece a formação cidadã. 

Para a saúde

Brincar e aprender ao ar livre melhora todos os indicadores de saúde e bem-estar das crianças: baixa o nível de ansiedade, garante bom sono, atividade física e produção de vitaminas, entre outros.

Para os vínculos culturais

A conexão com a natureza na escola ajuda a reconhecer e valorizar saberes tradicionais, trazendo diversidade social e cultural ao currículo e ao contexto educativo.

Para enfrentar as mudanças climáticas

Há escolas por toda a cidade. Quando elas e seus entornos ficam mais verdes, ajudam a prevenir enchentes, regular a temperatura e diminuir a poluição, entre outros serviços ambientais.

NOSSAS PUBLICAÇÕES SOBRE O TEMA

Desemparedamento da infância

Livro mostra caminhos para o processo de ressignificação das escolas como lugar de encontro das crianças com a Natureza

Guia de aprendizagem ao ar livre

Material busca apoiar escolas, municípios e estados no planejamento para o uso de espaços ao ar livre

APRENDER E ENSINAR COM E NA NATUREZA

Percurso formativo para educadores, baseado em histórias reais mostradas no filme O Começo da Vida 2: Lá Fora

Parques naturalizados

Descubra como criar e cuidar de paisagens naturais para o brincar

Cidades para brincar e sentar

A publicação apresenta uma nova perspectiva para o espaço público

caminhando juntos até a escola

Material inclui a caminhada até a escola como recurso pedagógico e formativo

NOSSOS VÍDEOS

Notícias