Educação, infâncias e natureza

DSC_1678

22 jun Educação, infâncias e natureza

Entendemos que a vida urbana nem sempre favorece o contato direto das crianças com ambientes naturais, e a experiência ao ar livre tornou-se um desafio nas cidades. Nesse contexto, a escola tem o papel estratégico de desenvolver propostas educativas integradoras no território e na natureza, que possam contribuir com o que costumamos chamar desemparedamento da infância. Mas que fazer com a natureza em tempos de pandemia, quando educadores e famílias encontram-se em situação de isolamento? Elencamos oito sugestões sobre como estimular ideias criativas e trabalhar a relação com a natureza enquanto os alunos estiverem em casa. Confira!

1. A Natureza está dentro de nós: Para educadores, o enorme desafio de inventar novas formas de fazer a escola traz certo grau de tensão a mais, além do medo da própria doença e do acúmulo das funções da casa. Nessa situação, a escuta se torna ainda mais importante.

2. O Tempo e o Espaço: Observar é um modo de conhecer inerente à humanidade. Registrar e sistematizar esse conhecimento pode ser um bom percurso didático.

3. Origem das coisas: Compreender de onde vêm os alimentos, do que são feitos os materiais que vemos e usamos no dia a dia pode ser uma boa forma de percepção da natureza dentro das coisas e de como ela é necessária.

4. A gente é o que a boca come: Quais alimentos cada família come? De onde vêm? Qual seu valor nutricional?

5. A tecnologia a favor: Usar a tecnologia a favor do aprendizado pode ser um bom caminho. Evidentemente, é preciso pensar nas condições de acesso de educadores e estudantes no presente momento. 

6. A arte como alimento para a alma:  A arte tem o poder de mobilizar encantamento, relaxamento e inspiração. Que natureza se vê da janela? Que tal desenhá-la? Que tal usar materiais reciclados para compor estruturas e refletir sobre o reuso de objetos? A natureza sempre inspirou a arte

7. Sentimento de pertencimento: Do que os estudantes sentem falta do lado de fora, quais os percursos que eles conhecem e como se relacionam com os lugares dentro de seus territórios?

8. Escutar a criança: Garantir espaços para troca sobre como estão vivenciando o presente é uma forma de acolhimento, que também é parte da educação. Significa, no mínimo, trabalhar formas de expressão e ajudar a nomear aquilo que se sente.

ACESSE O CONTEÚDO COMPLETO

SAIBA MAIS:

SUGESTÕES PARA EDUCADORES

ENTREVISTA PROGRAMA CRIANÇA E NATUREZA