Explorações, pesquisas e descobertas com a natureza

IMG_0146

09 jun Explorações, pesquisas e descobertas com a natureza

A cozinha e o jardim podem ser fonte de muitas experiências sensoriais, artísticas, científicas e do brincar para a infância e para todos nós. Lugares de sensibilização com a natureza e sua estética orgânica: cores, formas, cheiros e texturas que captam e provocam todos os sentidos.

Nesse espaço de alimentação e cultivo, vamos olhar para a potência das frutas, folhas, raízes, cascas, flores, caroço de abacate, terra, pedras, ervas, especiarias e nos conectar com esses elementos naturais. São diversas possibilidades e uma delas é a extração das cores, os pigmentos naturais.

E onde estão os pigmentos naturais no seu cotidiano? Onde estão essas cores?

22181416_1433543346765909_5219487820763524789_oNa cultura e na arte, podemos encontrar os pigmentos naturais em pinturas rupestres, corporais, de moradias, no tingimento e na estamparia de tecidos, na criação de tintas, desde os tempos mais distantes, em diferentes povos. Atualmente, continuam sendo usados na fotografia, nas pinturas, nas esculturas e em obras de artistas contemporâneos.

Vamos pesquisar o que tem casa? Na geladeira, nos armários, na fruteira, no jardim e nos vasos? Vamos explorar, testar e descobrir?

Vale frutas, chás, temperos, legumes, verduras, terra, farinhas, polvilho doce, amido de milho, sagu, flores, grãos etc. Pode usar cru, bater no liquidificador, cozinhar, macerar e friccionar, observar e sentir todo processo de transformação dessa matéria-prima natural. E não precisa usar o alimento todo: da beterraba pode usar a água do cozimento, da cebola as cascas podem ser fervidas, do feijão preto a água que foi deixada de molho de um dia para outro, antes de cozinhar. Sempre é possível reaproveitar.

Organize um espaço na mesa – ou mesmo no chão – com uma toalha e utensílios como martelo de madeira, coador, pilão, tábua de cortar, colher de pau, tigelas, facas, peneiras, coador de café, conta-gotas etc. Incentive as crianças a cortar, amassar, provar e explorar os alimentos.

Explore as possibilidades! Pesquisa e descubra e flores comestíveis, faça sucos, caldos, gelatina incolor, gelo, varie as temperaturas. Investigue a paleta de cores do seu ambiente, crie um painel com os pigmentos!

Convide as crianças a sentirem as texturas e os cheiros em uma investigação multissensorial. Converse sobre o que é a fruta, a raiz, a flor; sobre a beleza das cores, das cascas, do que há no interior dos alimentos quando cortados; sobre a diversidade de sementes e tipos de folhas. São muitos aspectos e assuntos intermináveis.

22136972_1433543340099243_3710636658629032273_oAo extrair as cores é possível pintar, tingir, fazer massinhas e receitas culinárias como bolos, pães e massas coloridas. É bem curioso adicionar limão, vinagre ou bicarbonato de sódio para criar uma verdadeira alquimia com as cores! Sim, alguns pigmentos mudam de cor!

Então prepare papel, papelão, camiseta velha, pano de prato, qualquer ou tecido que tenha à mão. Separe pincéis, escovinhas e objetos que possam ser usados para carimbar, objetos de madeira para colorir, fios, palhas, use a imaginação!

Para fazer massinha misture um pouco de farinha de trigo com amido de milho e pigmento. Para tinta pode ser o pigmento líquido aquoso ou mesmo engrossado com farinha de trigo, e outras receitas que são facilmente encontradas na internet.

Com essa experiência, as crianças podem conhecer múltiplos processos, inventar outros, se divertir e entrelaçar saberes sobre várias linguagens envolvidas nessa brincadeira. E considere a extração do pigmento natural tanto para uma receita ou pintura, quanto para exploração e brincadeira simbólica livre de criar comidinhas, fazer misturas e poções.

Observe, escute, deixe a criança imaginar, criar suas hipóteses, explicar suas teorias, manipular, experimentar, vivenciar essa experiência com liberdade e criatividade. Não tem certo, não tem errado, o importante é a conexão e a relação que se estabelece com a natureza e entre as pessoas. Aproveite e encante-se também! Brinque!

Boa experimentação e compartilhe seus registros com a hashtag #linguagensdanatureza

Marcela Chanan

Marcela Chanan

Pedagoga, atelierista, formadora de professores e estudante de Psicanálise. Especialista em Educação de 0 a 3 anos, trabalha com Educação da Primeira Infância há 15 anos. É idealizadora do Blog Cultura infantil.